Mercado Municipalpreservado

Em 1896 foi inaugurado o Mercado Municipal em São José dos Campos, que ocupava um terço da área do atual mercado. No restante da área, existia uma pracinha, o Largo do Mercado ou Largo Dàparecida, defronte à Igreja de N.S.Aparecida.

 

Década de 1890

Década de 1890

Em 1921, o prefeito Coronel João Cursino solicitou o inicio da obra do novo Mercado Municipal, ampliando-se por toda a área entre a Rua Siqueira Campos e a Rua Sebastião Humel, sumindo com a antiga pracinha. Sua inaugurado foi dada em 11 de março de 1923, atendendo ao projeto de melhoramento, expansão da cidade e adequação às exigências sanitárias da década de 20.

Mercado Municipal, 1923

Na década  de 1930, havia o grande dia do Mercado: o Sábado, onde, às manhãs, acolhia multidões. As donas de casa, os chefes de família, moças e rapazes, todos se encontravam, fazendo compras, ou apenas passeando. Iniciavam-se namoros, que iam ao casamento, solidificavam-se amizades. Os produtores da zona rural tinham acesso livre para vender seus produtos. A maioria expunha seus produtos no próprio chão, sobre um pano de saco, ao longo das ruas internas do Mercado.

Os principais produtos vendidos eram:

  • Verduras, legumes, frutas, ovos, frangos, farinha de mandioca e de milho e feijão entre outros.
  • Os vendedores de peixe eram os próprios pescadores do Rio Paraíba, que expunham o pescado em bancas elevadas. Não havia peixes do mar, só peixes de rio como: lambari, bagre, traíra, etc.
  • Também podiam ser encontrados fumo de rolo, trançado de couro como o chicote, laços, utensílios feitos de lata, vassouras, brinquedos de madeira, objetos de cerâmica como potes, moringas, talhas, panelões, louça para cozinha, apitos, bem como armazéns completos, bares com pastéis e outros comestíveis preparados na hora, tudo cercado pelos açougues.

Os produtores traziam seus produtos em cavalos, burros e carros de boi que ficavam estacionados nas travessas da rua Siqueira Campos e atrás do Mercado, na travessa Chico Luiz.

Com o tempo, desapareceu essa salutar prática, assim como desapareceram os engradados de frangos vivos, as leitoas, as coisas que saíram de moda, como rodas maciças para carrinhos, caixotes para o mesmo fim, bundas de içá, milho verde cozido, pamonhas, curaus, pão de mandioca, varas de cana.

Em meados dos anos 70 e 90, o Mercado tinha  a coloração azul e branca:

1990

1990

Em 1994, foi elaborado a recuperação das cores originais das fachadas do Mercado e hoje em dia o local continua funcionando e completamente preservado, vendendo variados produtos nacionais e importados.

2016

2016

 

Galeria de Fotos:

Informações Gerais

Estado atual: Preservado e tombado (proibido de ser demolido) pela  Lei Municipal 4595/94, de 04 de julho de 1.994.
Projetista: Abraão Leite
Cor da edificação: Amarelo e branco
Dimensão:  2.188m²
Site: http://www.mmsjc.com.br
Telefone: 3922-4292
Atendimento: 156 – Ligue 156 gratuitamente
Horário de funcionamento:
De segunda a sexta-feira: das 7h às 17h
Aos sábados: das 7h às 14h
Aos domingos: das 7h às 12h
Abastecimento: Rua Felício Savastano, 401, Vila Industrial
Endereço
: Travessa Chico Luiz, 57, Centro
Localização:

 

Referências:

http://www.mmsjc.com.br
http://www.sjc.sp.gov.br

Classificações: